Os Anos 50 e a Efervescência Adolescente

18:20:00

Finalmente cheguei na década que mais gosto. Tenho admiração pelos anos 40 pelo seu valor histórico e os grandes acontecimentos nos tempos de guerra. Mas gosto dos anos 50 porque acredito que foi nessa metade do século XX que houve uma grande mudança social, principalmente pelo conceito de juventude que até então não era estabelecido. As pessoas eram divididas apenas em crianças e adultas, considerando ainda que antigamente as pessoas "se tornavam adultas" muito cedo e foi nessa época que essa ideia adolescente passou a ser aplicado.


Os anos 50 é representando pelo otimismo, prosperidade econômica e mudanças políticas. Tudo isso influenciado pelo fim da guerra, retorno dos soldados e fim das fronteiras nacionais que passaram a influenciar o novo sonho americano de ter condições melhores de vida e consequentemente o aumento do consumo.

Além disso, houve o aumento da região suburbana, o crescimento da classe média e o crescimento da indústria do entretenimento, muito atrelado ao boom adolescente, considerado uma revolução cultural na história.


Outro ponto muito importante que estava ansiosa para falar sobre essa década é que as pessoas confundem muitos os anos 50 com os anos 60, principalmente quando têm festas à fantasia com essa temática, então serão duas décadas muito importantes para serem estudadas para percebermos essas diferenças.

HISTÓRIA
Com o fim de Segunda Guerra Mundial começaram a propagar a ideia de que as mulheres que estavam trabalhando durante a guerra precisam voltar a cuidar da casa, da família e filhos, já que estavam tudo normalizado e já não era mais preciso o apoio delas nas fábricas. Ser uma boa e bela mulher era o que todas as mulheres deveriam ser e o conceito de feminilidade ganhou o seu auge.

Os avanços tecnológicos conseguidos com a guerra fez com que surgissem produtos domésticos mais modernizados como fogões elétricos, geladeiras, aspiradores de pó, coisas que contribuíam para que as mulheres mantivesse a casa em ordem rapidamente e tivessem mais tempo para cuidar de si, tendo sempre uma aparência de boneca. Surge nesse época então o conceito de housewife, a mulher dona de casa e que não trabalha fora.


Os EUA estava vivendo uma era de prosperidade econômica, o que fez nascer muitos jovens consumistas que viviam com o conforto da modernidade. Principalmente devido ao surgimento da TV que mais chamava a atenção das crianças. A TV era símbolo da indústria da mídia e do entretenimento e responsável também por reunir famílias e amigos para assistir suas programações.

Esse foi um período em que os pilares igreja, família e escola deixaram de ser a base de respeito e ensinamento e a televisão ocupou o lugar impondo as novas regras sociais, principalmente com os comerciais de TV.

A Televisão também foi uma grande apoiadora e responsável por popularizar o rock'n'roll na década de 50. E responsável pela diminuição das salas de cinema, fechamento de clubes e salões de dança e desaparecimento de algumas estações de rádio. Os americanos passaram a adaptar seus estilos de vida aos programas de TV.


MODA E PADRÃO DE BELEZA
A nova ideia de feminilidade dizia que as mulheres precisam ter os corpos com muitas curvas  e ter uma cintura bem marcada. Isso era sinônimo de feminilidade e atraia muito os homens. Além disso a mulher dos anos 50 deveria ser bonita e principalmente uma boa dona de casa. As pessoas deveriam casar cedo e ter muitos filhos.


Os anos 50 foi uma época de glamour e por isso era conhecido como os anos dourados. Para festas os vestidos eram sempre muito glamourosos, lembrando as princesas Disney. Muitas vezes rodado, porém tomara que caia e eram complementados com grande luvas, jóias e colares luxuosos.


CABELO E MAQUIAGEM
Com o advento dos filmes a cores, a beleza das atrizes ficaram mais visíveis e com isso a busca em obter a beleza hollywodiana aumentou e consequentemente a oferta de produtos de beleza também cresceu.

Além disso, a melhoria do momento pós-guera fez as mulheres quererem se cuidar mais, principalmente em questões estéticas. A indústria do cosmético também passou a ofertar uma gama maior de produtos, principalmente maquiagem para os olhos, que na época deveriam ser bem marcados com delineador e rímel. Os lábios deveriam ser sempre vermelhos e o pós de arroz também muito usado para dar o toque especial na pele.


Os cabelos tiveram alguns formatos. Poderiam ser curtos, com volume e mais ondulado com uma estrutura mais firme ou um formato mais jovial com os rabos de cabelo, mais usado pelas garotas. As franjas, muito usadas pela Bettie Page e também pela Audrey Hupburn também fizeram sucesso nessa época e davam um ar de menina para as mulheres.




E com os cabelos mais elaborados o uso do chapéu começou a diminuir, passando a usar mais casquete ou chapéus menores.


As unhas deveriam ser sempre compridas e principalmente pintadas na cor vermelha. As opções de cores naquela época também eram mais limitadas. Não tinham tantas opções como agora.


LINGERIE
Após a guerra a produção de lingerie aumentou, já que a fibra e o nylon que estavam sendo usados para para os produtos da guerra voltaram para o mercado da moda. As roupas de baixo que antes era algo mais prático para os dias de guerra, passaram a ser mais delicadas e glamourosas.

Enquanto as mulheres mais velhas continuavam usando roupas de baixo mais firmes, as garotas passaram a usar cintas-liga mais leve. A liga tinha o poder de achatar a barriga e o bumbum, o que deixava melhor para os vestidos da época de 50. As meias passaram a surgir novos tons, atendendo a mais diferentes tipos de pele e os sutiãs eram aqueles com bojo cônico para dar aquele efeito de seio separado, pontudo e proeminente.




ROUPAS DE BANHO
As roupas de banho passaram a ser mais leves devido o nylon e os maiôs estavam ficando cada vez mais populares. Alguns modelos tinham uma espécie de saia por cima e era ótimo para esconder as imperfeições.




ACESSÓRIOS
Foi nessa época que os famosos óculos gatinhos ficaram conhecidos, tendo o canto externo dos aros em formato de borboleta.


As luvas também era algo muito utilizado. E as bolsas geralmente tinham alças curtas para serem carregas na mão ou sobre o braço. Sapato, bolsa, cinto, luva deveriam combinar. O cinto era importante para marcar a cintura.


OS ADOLESCENTES E A MÚSICA
Com o pós-guerra e o crescimento da economia os jovens que antes eram preparados para uma vida de responsabilidades agora chamavam a atenção da mídia, pois se tornaram mais libertários, decisores e passaram a ter mais poder de escolha e com isso passaram a ditar a moda e a atrair as indústrias.

Na segunda metade dos anos de 1950 aconteceu o que chamamos de baby-boom a grande geração de pessoas que eram adolescentes na época e representavam grande parte da população. As oportunidades econômicas possibilitaram que mais jovens fossem a universidade e tivessem uma carreira profissional.

Pela primeira vez na sociedade uma geração de jovens  tinha sua própria cultura musical. O crescimento de jukeboxes  em bares por exemplo davam aos jovens o poder de escolha sobre o que ouvir e o rock'n'roll era a preferência dessa geração.



ROCK É DO DIABO
Na década foi lançado o filme Sementes da Violência, uma cena associava o comportamento rebelde de alguns jovens com a música "Rock Around The Clock" do Bill Halley, automaticamente os adultos passaram a associar esse tipo de música a comportamento rebelde com o apoio da mídia e isso fez os jovens amarem ainda mais esse tipo de música.

Outro fator foi a presença de músicos negros, expressões diferentes  e danças consideradas "bizarras e sexuais" auxiliavam para esse estranhamento americano.




O VISUAL JOVEM
Muito atrelado ao público masculino o jovem que curtia rock in roll era representando por botas de motoqueiro, canivete, um cinto com fivela e jaqueta de couro, o que protegia das lâminas em brigas com outras gangues.


As garotas usam saias rodadas, cigarettes, sapato baixo, jeans e suéter.



CINEMA
Enquanto na música os cantores negros faziam grande sucesso, no cinema a imagem do homem branco era a que ganhava destaque no cinema. O público de cinema aumentou e as pessoas queriam casa vez mais parecer os astros de cinema.

Os filmes Juventude Transviada com James Jean, O Selvagem com Marlon Brando e O Prisioneiro com Elvis Presley retratam bem essa cultura rebelde do jovem que curte rock'n'roll, tornando-se modelos para aquela juventude.


DECORAÇÃO
Com os avanços científicos e a busca pelo espaço esses temas passaram a ser associados com modernidade, que começaram a refletir no formatos dos móveis, carros e objetos decorativos. O formato do átomo e moléculas, símbolos da ciência viraram estampas de tecidos, papéis de parede e até objetos domésticos.




CARROS
Com a prosperidade dos anos 50 muitas famílias conseguiram adquirir suas próprias casas, um pouco mais distantes da cidade, o que incentiva a todas terem seus carros em seus jardins para visitar os arredores e levar as crianças para a escola. Assim há o crescimento na indústria automobilística e o favorecimento de infraestrutura para rodovias.

Os carros eram chamativos e grandes para demonstrar a autoconfiança do país. Geralmente tinham formato de avião ou foguete o que os tornavam mais bonitos, luxuosos, compridos e potentes, porém confortáveis. Essa era uma época em que a beleza do carro valia muito mais que o seu motor. O carro era o representante da expansão urbana no subúrbio. Consequente a introdução dos rádios no carros tornou as músicas mais acessíveis e populares.




MULHERES DE DESTAQUE
Os anos 50 também é marcado pelas divas hollywoodianas que inspiravam o comportamento de outras mulheres. Entre elas, as atrizes Grace Kelly, Marilyn Monroe e Audrey Hupburn.


PROPAGANDA


Com o surgimento da televisão a publicidade amplia sua atuação de anúncios impressos para anúncios televisionados, os famosos comerciais de rádio agora na televisão, sendo transmitidos de maneira sempre muito descritiva em relação ao produto, destacando suas características e benefícios. 

Foi nessa época também que surgem as garotas-propagandas representando as marcas na TV.



ANOS 50 NO BRASIL
No Brasil houve a cultura do progresso e desenvolvimento com o presidente Juscelino Kubitschek. Nos anos 50 o Brasil começa a produzir mais matérias primas, inclusive seus próprios tecidos. Os anos dourados era o reflexo da nova classe média confirmando a importância da mídia e da indústria cultural.

Aqui também surge a primeira emissora de TV no país, a TV Tupi, o início da construção de Brasíli, o início da Bossa Nova, Copa do Mundo no Maracanã, fabricação do primeiro fusca no Brasil e morte da Carmen Miranda, entre outros acontecimentos.



ANOS 50 HOJE
Atualmente os anos 50 é uma das décadas mais adora pelos nostálgicos. Veremos algumas imagens de como essa década é refletida hoje.






MAD MEN
Uma série que podemos assistir para compreender melhor como funcionava essa estética e cenário político e cultural é Mad Men. A série se passa em uma agência de publicidade e mostra a transição entre os anos 50 e 60. Nessa transição é possível inclusive perceber a diferença visual dessas décadas e como essa mudança aconteceu de maneira sutil.




Como puderem ver quanto mais as décadas vão se aproximando da nossa mais informações temos, então fica ainda mais difícil compilar tudo, por isso, alguns assuntos acabaram sendo abordados bem por cima, mas serão discutidos mais a fundo em outros posts.

Agora vou me preparar para pesquisar sobre os anos 60 para fazer o próximo post. Mas comente, o que você acha dos anos 50? O que achou desse post?

Você também vai curtir

22 comentários

  1. Olá....
    Adorei o post.
    Post bem completo amei.
    Tem tanta coisa linda desta época.
    Amei de verdade o post, as fotos estão incríveis.
    Feliz 2015.
    Até, mais...
    JaqueVirtual....
    http://jaquevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A-meeei! Sem dúvidas é também minha década preferida e o post está ótimo, informações valiosas! Beijos, Daise sz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Laís, adoro quando você faz uma visitinha por aqui :)

      Excluir
  3. Olá Daise, adorei o post! Muito completo e tocas nos pontos essenciais da época :) Há sempre coisas que não sabemos por isso também aprendi algumas coisas! Adoro a estética desta época, as roupas, a maquilhagem, os cabelos, os carros... Fazem-me viajar do tempo. Fico à espera do post seguinte com muita curiosidade :)

    Beijinho*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Ana, vamos aprendendo um com o outro sempre. O post sobre os anos 60 virá em breve, mas vai demorar um pouquinho porque ainda vou precisar pesquisar mais sobre essa época.

      Excluir
  4. Daise, amei o post!!! A seleção de fotos tá incrível e o conteúdo super completo!
    Os anos 50 é a minha década preferida por conta do glamour, feminilidade e rebeldia. Amo saias rodadas e cigarretes, é tão incrível!
    O "pior" é que depois que me acostumei a me vestir assim, não consigo mais usar roupas normais e de cintura baixa :p

    Beijão!!!!! Que esse ano seja maravilhoso pra você e MUITO SUCESSO!!! ♥
    www.imcherrybang.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei bem como é isso Gabi, também não consigo usar muito roupas baixar, super decotes e coisas do tipo.

      Muito sucesso para nós. Beijão!

      Excluir
  5. Amo os anos 50, artisticamente falando, pois não gostaria de voltar lá nem que me pagassem - quer dizer, se fosse pra passar o fim de semana, quem sabe, né? Moda, artes, livros da década eu adoro. Ícones também. Mas se fosse pra voltar ao tempo, iria para os anos 60.
    Enfim, mesmo com todo o glamour, acho que a juventude da época estava "sentindo falta de algo". Eles não tinham muita voz e desde cedo tinham que agir como adultos. E nos EUA, todo o glamour do American Way of Life escondia a segregação racial, o machismo e outros males. É por isso que prefiro os anos 60, pois foi quando tudo isso veio a tona. Mesmo assim, amo rockabilly e Chuck Berry hehehehe.
    Amei o post!
    Beijos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem observado Iza, vemos sempre o lado bom dessas épocas, mas com certeza existiam coisas ruins que melhoraram muito agora e hoje temos alguns confortos e liberdades que seriam impossíveis naquela época. Concordo com o que falou. Beijão e obrigada por comenta :)

      Excluir
  6. Amei, amei, ameiiiiii
    Esse post ficou perfeito Daise, bem completo cheio de imagens e bem explicadinho.
    Eu como dona de casa, me identifico muito com a decoração da época e o estilo das housewife, embora eu prefira trabalhar fora, eu amo cuidar da minha casa, e da minha filhinha, sou muito tradicional.
    bjuxxx e bom ano. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Vivi, muito feliz que você amou. Com certeza é uma época apaixonante <3

      Excluir
  7. Simplesmente AMOOOO esta década!!! A começar pela música, passando pela moda e terminando... bom, não terminando! Adorei este post e quero agradecer pela maneira didática que você vem trazendo as décadas aqui no seu blog. Com certeza estou ansiosa por mais, apesar de os anos 50 serem os do meu coração! (Já me veio logo aquela cena do Marty McFly tocando guitarra, interpretando ''Johnny Be Good'' em ''De Volta para o Futuro''. Aquela é uma cena emblemática daquela época, na minha opinião.) Um grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tali eu que agradeço imensamente o carinho e por acompanhar sempre as postagens no blog. É por saber que estão acompanhando as postagens que me empolgo em postar mais ainda hehe. Um grande beijo :)

      Excluir
  8. Parabéns pelo post!!Quando vi não pude deixar de ler, é a minha década favorita. Como sou muito nostálgica, tudo que é antigo me chama a atenção e sempre escuto e leio tudo relacionado a essa década e as de 60 e 70. Já estou aguardando pelo seu próximo post. Até lá :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Vivi, com certeza esses são temas apaixonantes. Sempre que vejo algo relacionado, também já corro para ver.

      Beijão

      Excluir
  9. Eu realmente gostei deste post, a decada de 50's é a minha decada favorita!

    ResponderExcluir
  10. Que post! <3 A década de 50 me encanta demais. A moda e a música são as culpadas por toda essa preferência e esse amor. Mesmo amando tanto, não sabia de um montão de informações que tem aqui no post. Tipo, achei que a associação do rock com o diabo era coisa mais atual, tipo dos anos 90, sei lá. haha Rock Around The Clock é uma das minhas músicas preferidas. Sonho em aprender a dançar twist, e morro de vontade de usar saias rodadas para sempre. \o/
    Nossa, Daise, arrasou! <3 Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me fala Samara, eu mesma quando vou pesquisando, pesquisando, quando vejo já tem tanta informação, que fico louca. Muitas vezes fico deixando algo de fora, porque se não o post fica ainda mais infinito. Tenta ver uns vídeos no YouTube para aprender a dançar e saia rodada acho que fica mais fácil hehe. Fico feliz que gostou. Beijão

      Excluir

Leituras de uma Mente Flutuante

Na Tela de uma Mente Flutuante

Delírios de uma Mente Flutuante

Subscribe