Anos 40 - A Moda e a Guerra

17:32:00

Já falamos sobre  La Belle Epoque, anos 20, anos 30 e agora vamos introduzir aos anos de 1940 para dar continuidade as demais décadas.

Apenas para relembrar, os anos 30 foi uma década marcada pela grande depressão no qual muitas pessoas ficaram desempregadas e a moda foi obrigada a baixar os preços para que tudo ficasse mais acessível.

HISTÓRIA
Já nos aos 40 entramos no período de guerra no qual houve a escassez de produtos e as pessoas foram incentivadas a deixar a moda mais racionada reciclando as roupas e as fazendo em casa para melhor economia, já que em tempos de guerra a moda passa a ser algo necessário e menos ostensivo. Logo as mulheres precisam de um guarda-roupa com menos peças porém com maior versatilidade.


MODA
A questão  da moda ia muito além das lojas, começava já na linha de produção quando tecidos com algodão eram voltados para produção de uniformes, seda para produção de paraquedas e bolsas de pólvora entre outros materiais.

Muitas das roupas dos anos 40 tinham ombros arredondados, mangas largas, corpetes cheios com cintura moldada. Silhueta estreita e cintura marcada. As saias eram retas com pregas invertidas para facilitar o movimento. Alguns projetistas de moda inspiravam-se em ideias romantizadas de trajes camponeses e até leve inspiração medieval.



Naquele tempo as mulheres valorizam muito as meias de nylon, mas devido a guerra a fabricação desse tipo de meia passou a se tornar mais inviável, já que o material estava sendo usado para outros fins de guerra, como a fabricação de paraquedas, por exemplo. Como muitas mulheres não podiam comprar elas passaram a fazer o famoso leg-paiting a famosa risca atrás, para manter o glamour que esse tipo de meia proporcionava e a ideia de que deixava as pernas mais definidas e que os homens adoravam.

Essa era uma técnica um pouco difícil de fazer em si mesma, então muitas contavam com a ajuda de uma amiga.


Para a mulher ainda se sentir na moda, os chapéus não foram deixados de lado, porém passaram a ser produzidos em formatos menores. Mesmo assim, algumas mulheres achavam o preço dos chapéus muito alto em tempos de guerra e passaram a usar redes, lenços e turbantes que cobriam mais o cabelo e portanto mais seguro para trabalhar no setor fabril, além se ser algo utilizável tanto dentro de casa como fora.




Ainda nas fábricas, as mulheres precisam retirar brincos, cintos, deixar os cabelos presos com bandanas ou lenços. A calça passou a ser utilizada como algo utilitário, no trabalho, no campo na praia, muito mais por uma questão de necessidade do que de revolução, já que era algo mais prático também.




CABELO E MAQUIAGEM
Com a escassez de roupa, penteados e maquiagens eram enaltecidos. Os cabelos das mulheres estavam mais longos que os dos anos 30, eram usados na altura do ombro e as mulheres tinham como inspiração o penteados da Veronica Lake. Com a dificuldade em encontrar cabeleireiros, os grampos eram usados para prendê-los e formar cachos. Os lenços, bandanas e snoods também foram muitos usados nessa época. No caso das unhas as mulheres eram incentivadas a polirem ao invés de pintá-las.





Os anos 40 valorizavam a pela um pouco mais natural. Um pouco de pó e blush para dar um tom rosado e de saúde nas bochechas. No olho o foco era sombram marrom com um delineador bem leve e rímel. As sobrancelhas eram mais naturais também, porém no formato mais em arco. Os lábios sempre vermelhos para dar volume e a boca parecer maior. As famosas unhas half-moon começaram a ser muito usadas nessa época.

Apesar de ainda não ter uma grande diversidade de maquiagem, as mulheres improvisavam com elementos caseiros. Alguns empresas apenas recarregavam as embalagens de batom para economia, porque o metal estava sendo utilizado na indústria bélica.




LINGERIE
Cintas ligas, baby dolls, camisolas longas e robes eram peças muito usadas na época e ganharam mais destaque principalmente por começar a serem usadas nas telonas pelas atrizes famosas.



Foi nessa época também que começaram a surgir as fotografias de pin-ups usando lingeries, o que fizeram as peças ganharam mais valor nessa época.



A MULHER DOS ANOS 40
Nos anos 20 e 30 as mulheres começaram a dar seus passos de liberdade, mas foi no anos 40 que cresceu o conceito de feminismo, com mulheres buscando um futuro diferente do que elas já estavam programadas para ter historicamente e culturalmente e começaram também a entrar no mercado de trabalho.


HOMEM NOS ANOS 40
Inspirados nas Big Bands, os ternos Zoot eram as roupas masculinas. Calças largas com cintura alta eram vestidas com paletós longos. Na época, também devido o racionamento, a maioria dos homens parou de usar coletes por baixo dos paletós e os estilistas cortaram as calças e os paletós mais estreitos. Os suéteres também fizeram parte da moda masculina e os homens os usavam com decote em V com camisas de colarinho desabotoado e calças sociais fora do trabalho ou para eventos menos formais.



MULHERES DE DESTAQUE
Em todas as décadas existem alguns padrões de beleza que representam o ideal de beleza. Nos anos 40 podemos citar algumas delas: Lana Turner, Jane Russell, Veronica Lake, Rita Hayworth, Lauren Bacall. Elas são o verdadeiro glamour de Hollywood, as grandes inspirações de pin-up clássica.



MÚSICA E DANÇA
A 2º Guerra Mundial também influenciou na música. Popularizou os instrumentos amplificados, Surgiu o Rhythm'n'Blues, o jazz, o country e o swing e os cantores negros criaram um cenário mais sólido. Abrindo caminho para o rock'n'roll que viria futuramente.



CINEMA
A década de 40 foi a época em que o cinema passou a ter mais visibilidade. Com a questão da Segunda Guerra, tanto a Europa, quanto os Estados Unidos incentivaram a produção de filmes patriotas que servissem como propaganda de guerra, mas eram muito frequentado também por pessoas que queriam fugir um pouco de toda a violência que aconteceu nessa época. Entre os filmes que se destacam dessa época temos Casablanca de 1943 e Cidadão Kane de Orson Welles. Os filmes noir também ganham destaque nessa época.


PROPAGANDA
Diferente de hoje em que menos é mais. Nos anos 40 a publicidade era muito informativa, continha muito texto para explicar melhor o produto. Em geral, principalmente na cultura americana, havia muitas propagandas relacionadas a guerra. Ainda não havia recursos tecnológicos como o Photoshop e a propaganda era muito trabalhada em cima de ilustrações.




AS PIN-UPS
Bem nós já sabemos que o termo surgiu nos anos 40 para definir as garotas do calendário que tinham uma imagem mais atraente. Quem quiser entender melhor, pode ler esse post aqui. A verdade é que graças aos anos 40 e a cultura americana, hoje temos esse conceito de pin-up que tanto nos inspira como um novo estilo de vida.


ANOS 40 HOJE
Como as décadas passadas sempre nos inspira, agora vai algumas fotos atuais que são reflexo da cultura de 1940. Como as lingeries da Dita Von Teese e ela própria. As cenas do filme "O Diário de uma Paixão".




Uma série que vocês também podem assistir para entender melhor o conceito de mulher nos anos 40 é assistir Bomb Girls. A série narra a história de mulheres que começaram a entrar no mercado de trabalho, principalmente em uma empresa de fabricação de bombas. Existem duas temporadas de e mostra muito bem cenário, figurino e música dessa época.



É isso pessoal, o post ficou bem longo, mas com muitas imagens para que vocês possam entender melhor a década de 40. Agora é tomar folego para falar sobre os anos 50.

E então, gostaram? Vocês têm admiração pelos anos 40?

Você também vai curtir

16 comentários

  1. Adorei o post, muito informativo! Comecei a fazer no meu há um tempo atrás de umas décadas mas era mais só sobre make e hair, e o resto eu não aprofundava tanto na história assim. O seu ficou ótimo, amei. Beijos, Daise <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Laís, queria ter colocado mais alguns pontos também, mas esse post deu um pouco de trabalho, fiquei algumas horas fazendo e fiquei bem cansada, exigiu bastante pesquisa, principalmente das imagens. Mas acho que os pontos mais importantes foram abordados. Se pintar um insight eu atualizo o post hehe. Fico feliz que gostou, beijinhos!

      Excluir
  2. Sensacional Daise, a moda dos anos 40 é apaixonante! Lindo post!
    Desejo uma boa semana.
    Beijinhos da Cris.
    www.mixdacrisretro.com

    ResponderExcluir
  3. Olá Daise!
    Gostei tanto desta publicação. Muita informação e uma compilação de imagens magnífica! Fizeram-me voar por instantes. Pessoalmente, gosto muito dos anos 40 pois como tu própria tentas transmitir, é muito rica em história. Anos de guerra que não terão sido fáceis e onde a mulher se destacou :) Aquele sabonete Lux é português, não é?
    Grande beijinho <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que demais Ana, a ideia era essa, fazer vocês entrarem na história e os anos 40 tem muito para nos dizer. O sabonete hoje é uma marca da Unilever que é uma marca multinacional, mas essa propaganda acredito que tenha sido aqui no Brasil mesmo :)

      Beijinhos

      Excluir
    2. Mas também houve muita publicidade dessa sabonete aqui em Portugal. Olha para este poster com Amália Rodrigues, uma cantora de fado muito conhecida, que foi e continua a ser uma das personalidades mais famosas de Portugal: http://1.bp.blogspot.com/_Vpt0reAggc0/TIjGhHGuqjI/AAAAAAAAADo/dGKdgrYL53Q/s1600/453038753_1494ff470d_o.jpg

      Beijinho*

      Excluir
    3. Com certeza sim Ana é uma marca grande, conhecida mundialmente. E ainda faz muito sucesso aqui no Brasil e por aí?

      Excluir
  4. Eu adoro a moda dessa década, mas dificil de vivier no tempo de guerra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Difícil mesmo Lizzy é nessas horas que repenso se nasci na época errada, rs.

      Excluir
  5. Olá Daise, muito bom seu texto e imagens, mas você poderia me falar quais foram os principais estilistas da época? Obrigada :*

    ResponderExcluir
  6. Ola Daise, adorei tudo, mas você poderia me dizer quais foram os principais estilistas dessa época? Obrigada! :*

    ResponderExcluir

Leituras de uma Mente Flutuante

Na Tela de uma Mente Flutuante

Delírios de uma Mente Flutuante

Subscribe